Wederson faz balanço de 2019: “votamos leis que trazem resultados práticos para sociedade”

por Marcos Vieira publicado 12/12/2019 10h55, última modificação 12/12/2019 10h52
Wederson faz balanço de 2019: “votamos leis que trazem resultados práticos para sociedade”

Vereador Wederson Lopes, do PSC (Foto: Ismael Vieira)

O vereador Wederson Lopes (PSC) fez um balanço das suas atividades em 2019, em discurso na tribuna na quarta-feira (11.dez), última sessão ordinária do ano.

Ele iniciou agradecendo aos demais vereadores pela convivência ao longo do ano, à população pelo apoio e ao prefeito Roberto Naves (PP) pela confiança em escolhê-lo como líder do governo no Legislativo e, antes disso, tê-lo convidado para ser titular da Secretaria de Meio Ambiente, Habitação e Planejamento Urbano.

“Creio que foi um ano produtivo, pois vários projetos importantes foram aprovados nessa Casa”, frisou Wederson. Ele citou a lei do Executivo, aprovada em plenário, que garante anistia de juros e multas àqueles que regularizem seus imóveis até 31 de dezembro.

“Todos os imóveis construídos até dezembro de 2018 e que não atenderam ao Plano Diretor ou o Código de Edificações tem a oportunidade de regularizar seus imóveis sem o pagamento de juros e multas”, reforçou o vereador.

Presidente da Comissão de Urbanismo, Transporte, Obras, Serviços e Meio Ambiente, Wederson ressaltou que ao longo do ano o colegiado realizou reuniões para levantar propostas de modificação do Plano Diretor, que foram encaminhadas ao Executivo, e agora retornam em forma de lei à Câmara.

“São várias as nossas propostas. E uma que considero importante é a extinção da obrigatoriedade do recuo de 5 metros das edificações não residenciais. Incluímos isso na pauta, pois não podia ser iniciativa do Legislativo. Tem ainda a Extinção da ZLDE”, explicou.

Wederson também falou sobre a lei aprovada que permite a regularização de imóveis utilizados por instituições religiosas. “Já está em vigor e permite que igrejas que prestam serviço importante à sociedade, católicas ou evangélicas, possam regularizar seus imóveis, terrenos e edificações”.

Ele falou ainda de outro projeto que fez parte, inclusive com a apresentação de um substitutivo, criando o programa Graduação, que concede até 300 bolsas universitárias em Anápolis.

Segundo Wederson, as proposituras aprovadas ao longo de 2019 representam “um salto extremamente significativo e trazem resultados práticos para sociedade”. “São leis que as pessoas sentem o impacto”, completou.

O vereador agradeceu ainda o apoio dos secretários municipais, citando obras importantes e que tiveram a sua participação, como a represa Bom Dia, no Parque Brasília, o parque linear já inaugurado no Jardim Itália, a praça do Santo Expedito que será feita a partir de emenda impositiva, e também uma arena esportiva que será construída no Residencial Munir Calixto.

Wederson mostrou revista de prestação de contas da gestão municipal, de 2017 a 2019, e afirmou que fica feliz por algumas ações lideradas por ele, ainda no Executivo, serem destaques na publicação, como a reconstrução do Parque da Jaiara, os jardins de chuva e a revitalização da Praça Dom Emanuel. “Temos ainda o uso de solo e o alvará online, que deram dinamismo e modernizaram a gestão”.

Issa
Wederson Lopes também repercutiu debate sobre o Issa (Instituto de Seguridade Social dos Servidores Municipais de Anápolis), disse que a discussão levantada pela liderança do PT é algo que move o país, que é a reforma da previdência.

“O que foi feito lá atrás foi uma repartição de massa para garantir a aposentadoria de quem se aposentar a partir de 2012, mas e os que se aposentaram, qual a garantia que eles tinham? Os que já são aposentados, qual a garantia que eles tinham de receber?”, argumentou.

O vereador comentou que os fundos do Issa foram unificados para beneficiar a todos e, além disso, patrimônios serão incorporados ao instituto.

Mas segundo Wederson, o debate sobre a reforma da previdência precisará ser feito no âmbito municipal, como já aconteceu nacionalmente. “Melhor receber menos do que não receber nada”, salientou.

Para o vereador, é preciso “deixar de politicagem”. “Temos que esclarecer a população sobre o que está acontecendo, tudo será quitado até o final do ano e incorporados patrimônios ao Issa, garantindo recursos para quem se aposentar daqui para frente”.

“O que o PT fez foi politicagem no Congresso para impedir reforma da previdência, coisa que o Lula e Dilma tentaram fazer, a reforma, mas não tiveram peito, coragem por causa dos conchavos que fizeram ao longo dos anos. É preciso parar de contar história pela metade”, concluiu.