Lisieux diz que vereadores tiveram responsabilidade para aprovar renovação do Código Sanitário

por Fernanda Morais publicado 11/09/2018 11h25, última modificação 12/09/2018 15h52
Lisieux diz que vereadores tiveram responsabilidade para aprovar renovação do Código Sanitário

Lisieux José Borges diz que vereadores trabalharam com responsabilidade para aprovar renovação do Código Sanitário (Foto: Ismael Vieira)

O vereador Lisieux José Borges (PT), repercutiu uma entrevista a uma emissora de rádio da cidade, concedida por um diretor da Prefeitura de Anápolis criticando a atualização do Código Sanitário do Município. Sem citar o nome desse diretor, o vereador disse que "se sentiu agredido pela maneira que ele falou sobre as modificações feitas no documento. Nós aqui na Câmara Municipal nos debruçamos sobre o projeto que o prefeito enviou para Casa, no sentido de tornar o trabalho na Vigilância mais ágil e menos democrático. E hoje esse diretor afirmou que o processo está com a burocracia maior, desmerecendo tudo que foi feito no Legislativo".
Lisieux destacou que os vereadores se preocuparam com a questão da liberação dos alvarás. "Estudamos a maneira que o documento poderia ser emitido através de uma tabela de complexidade das empresas. Estabelecemos prazos, aprovamos a questão da renovação automática, e mesmo assim vimos declarações que não condizem com a renovação do Código", comentou. 

O vereador do PT lembrou que antes de votar e aprovar o novo Código, foram realizados intensas reuniões e debates com as partes envolvidas no processo. "Fizemos audiências com fiscais, com empresários, com equipes da saúde, vereadores, com a participação aberta para a comunidade, enfim, foi um trabalho complexo que não merece ser desvalorizado. Verificamos a questão da agilidade do processo aliado com condições de trabalho para os fiscais com objetivo de atender a demanda da cidade. Antes de qualquer declaração, principalmente na mídia, é preciso ter cuidado e cautela", reforçou.

Ainda em seu pronunciamento, Lisieux José Borges falou sobre o atentado ao presidenciável Jair Bolsonoraro (PSL), na cidade de Juiz de Fora (MG). "Continuamos na torcida para elucidação dos fatos. Espero que se confirme que o ato de violência do agressor tenha sido isolado, sem conotação política para que a nossa democracia não saia ferida após esse fato", concluiu.