Leandro Ribeiro contesta declaração de presidente da Fieg e diz que "Anápolis é cidade do sim"

por Orisvaldo Pires publicado 11/02/2019 11h34, última modificação 11/02/2019 11h34
Leandro Ribeiro contesta declaração de presidente da Fieg e diz que "Anápolis é cidade do sim"

Leandro Ribeiro contesta declaração de presidente da Fieg e diz que "Anápolis é cidade do sim"

"Tenho admiração pelo presidente da Fieg, Sandro Mabel. É um grande empresário, com visão de futuro. Mas tenho que discordar frontalmente dele quando diz que Anápolis é a cidade do não e que Aparecida de Goiânia é a cidade do sim. Anápolis é a melhor cidade da investir, por vários motivos, como sua localização geográfica, o Daia, o Porto Seco, a ferrrovia Norte-Sul, o aeroporto de cargas, entre vários outros".

Foi assim que o presidente da Câmara, vereador Leandro Ribeiro (PTB), abriu sua fala no uso da tribuna, durante a sessão ordinária desta segunda-feira (11.fev). O alvo de sua contestação foram declarações de Sandro Mabel a um jornal de circulação regional, dadas após participar de reunião na Associação Comercial e Industrial de Anápolis. "Ele (Sandro Mabel) disse que foi a favor da redução de incentivos fiscais de várias empresas de 14 seguimentos, e que o governador Ronaldo Caiado fez compromisso de devolver num futuro próximo. Mas quando ele fala que Anapolis é a cidade do não e Aparecida de Goiânia, do sim, me incomoda, tenho que discordar", disse Leandro Ribeiro.

O presidente da Câmara ressaltou que o Executivo e o Legislativo sempre lutaram e lutam pelo desenvolvimento de Goiás, lembrou que esteve por oito meses na Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico para viabilizar novos projetos, "mas esbarramos em projetos de leis que foram construidos por administrações anteriores, que prejudicam". Entre eles citou a Lei do Plano Diretor, que foi feita a toque de caixa em gestão anterior e tem limitações. "Pintaram areas verdes particulares, cujos proprietários não podem construir nem fazer prédio nessas áreas. O município não tem condição de ressarcir esses proprietários", ressaltou.

Leandro Ribeiro citou também a Estação de Tratamento de Esgoto, em torno da qual, disse, foi criado cinturão que tem limitação para construção onde já existem pelo menos 30 casas, na região do Jardim Primavera, "será que vão destruir essas casas?". O presidente da Câmara insistiu que Anápolis é a cidade do sim, que quer novas indústrias, desenvolvimento e emprego. "Precisamos estar juntos com o prefeito, para ver onde fica melhor destinar área para implantar um distrito industrial do município, independente. Temos duas indústris farmoquímicas que querem vir para o Módulo 2 do Daia, mas está esperando a Codego fazer a infraestrutura. Temos que resolver essas questões", disse o presidente da Câmara.

A indicação por parte da Câmara, do vereador Wederson Lopes (PSC), para compor o Conselho da Cidade (Concidade), disse Leandro Ribeiro, é com o intuito que seja feita esta defesa, "para encontrar gargalos e resolver as pendências". Segundo ele, o estado de Goiás é o segundo polo farmoquímico do Brasil graças ao Daia, é o quarto polo metal mecânico do país graças a indústrias como a Hyundai. "Anápolis está longe de ser a cidade do não. Anápolis é a cidade do sim", concluiu.