Landim critica Saúde municipal e questiona onde estão sendo aplicados os recursos informados para o setor

por Marcos Vieira publicado 11/03/2019 14h30, última modificação 11/03/2019 14h30
Landim critica Saúde municipal e questiona onde estão sendo aplicados os recursos informados para o setor

Landim critica Saúde municipal e questiona onde estão sendo aplicados os recursos informados para o setor

O vereador Alfredo Landim (PT) disse na tribuna, na sessão desta segunda-feira (11.mar), que apesar de a Prefeitura de Anápolis direcionar 33% dos seus recursos financeiros para a Saúde, há diversas deficiências no sistema.

Ele citou o fechamento do Cais do Jardim Progresso, com o direcionamento dos atendimentos para as unidades do PSF no Parque dos Pirineus e Parque Iracema. Segundo Landim, os novos locais não estão conseguindo absorver a demanda que antes era do Progresso.

O vereador reafirmou não saber para onde está indo a verba da Saúde, pois houve diminuição dos atendimentos, como os que eram feitos no Cais Mulher, no Bairro Maracanã.

Alfredo Landim também criticou a triagem da UPA Dr. Alair Mafra. Disse que no domingo (10.mar), uma mãe levou um filho para atendimento no local, esperou das 8h às 13h, quando foi informada que deveria ir para o Hospital Municipal Jamel Cecílio.

O vereador também disse que o Município vai gastar R$ 4 milhões com uma cooperativa de anestesistas e mais três profissionais, mas ele não vê “lá na ponta” o número de cirurgias para justificar esse valor.

Landim falou também sobre o fato da Secretaria de Saúde ter contratado uma empresa para fazer o serviço de lavanderia na UPA. Segundo Landim, foi alegado que a rede de esgoto na porta da unidade não comporta a água dispensada com a lavagem própria.

“Mas aqui em Anápolis tem urbanistas que garantem que com menos de R$ 50 mil dá para fazer uma obra e reaproveitar a água. Depois que esse sistema está pronto, não tem mais gasto”, completou o vereador.