João Feitosa anuncia inauguração no dia 17 da subestação de energia elétrica Santana

por Marcos Vieira publicado 12/12/2019 01h24, última modificação 12/12/2019 01h24
João Feitosa anuncia inauguração no dia 17 da subestação de energia elétrica Santana

Vereador João Feitosa, do PTB (Foto: Ismael Vieira)

O vereador João Feitosa (PTB) fez um importante comunicado na sessão ordinária desta quarta-feira (11.dez): a Enel irá inaugurar no dia 17 próximo, às 10h, a subestação Santana, no Jardim Flamboyant, garantindo maior oferta de energia elétrica para Anápolis. “Com isso, demandas reprimidas serão atendidas”, frisou.

Feitosa voltou a analisar a situação da companhia de energia e, segundo ele, uma das principais deficiências é a falta de profissional. Ele citou ainda como algo desproporcional a exigência de o funcionário da Enel utilizar equipamentos de segurança que demoram 45 minutos para serem colocados, em casos que o serviço leva 5 minutos.

“Trabalhei 35 anos na Celg e conheço. Prezo pela segurança, mas não há necessidade desse equipamento todo em alguns casos”, explicou.

O vereador voltou a criticar o que a Enel fez no Jardim Luzitano, localidade de Anápolis que não tem energia elétrica. “Começaram bem, mas infelizmente abandonaram a obra. Estou esperando resposta por parte da diretora executiva, pois 90% do trabalho está pronto, mas foram embora, tirando inclusive os transformadores”.

João Feitosa frisou que tem cobrado ações da Enel, que tem defendido a cidade perante a empresa. Ele reclamou das interrupções de energia em Souzânia e Interlândia, citando ainda o caso do Jardim Progresso, que ficou 21 horas sem energia, devido a um caminhão ter arrebentado os fios em uma rua.

O vereador também falou sobre a aprovação na CCJ da Assembleia Legislativa, de projeto que autoriza a retomada da distribuição de energia de Goiás para o poder público. “A maioria dos deputados aprovou, mas sabe que é inconstitucional essa situação. Mas aprovaram”.

João Feitosa disse que há uma situação curiosa: ao mesmo tempo em que aprovam a encampação, o Estado envia à Assembleia um projeto que privatiza a Celg GT, juntamente com quatro outras estatais.

Para o vereador, uma retomada do comando da energia, hoje nas mãos da italiana Enel, só aconteceria a partir de uma propositura da CGU. “O deputado José Nelto esteve em almoço com Rodrigo Maia e Sérgio Moro. Lá foi dito que o governador precisa provocar a CGU e, com isso, a Eletrobrás tentar encampar a Enel. Mas não será tão fácil”, explicou João Feitosa.