João da Luz sugere que CPI da Enel force empresa a contratar funcionários

por Geovana de Bortole publicado 17/04/2019 15h45, última modificação 17/04/2019 15h45
João da Luz sugere que CPI da Enel force empresa a contratar funcionários

João da Luz sugere que CPI da Enel force empresa a contratar funcionários

Em seu discurso na sessão ordinária desta quarta-feira (17.abr), o vereador João da Luz (PHS) reforçou as críticas à empresa Enel.

O parlamentar comentou que a prioridade dos vereados é defender o direito dos consumidores. “Estamos perplexos com a atuação da Enel no Estado de Goiás. Sabemos que a empresa passou por um processo até chegar a ser privatizada, e lutei contra a privatização. Como a empresa detém o uso exclusivo, ainda recebeu incentivo fiscal de 33 por cento de ICMS. Eu achei um absurdo tremendo, pois o ICSM serve para ser investido em educação e saúde”, destacou.

João da Luz alertou que A Celg tinha 5 mil funcionários, sendo 2mil funcionários efetivos de carreira. De acordo com suas informações, foram demitidos 1200 funcionários efetivos e metade dos funcionários terceirizados, deixando poucos trabalhadores para solucionar os problemas. “A zona rural fica mais de dez dias sem energia. Os produtores perdem tudo. A população está padecendo”, afirmou.

O vereador sugeriu que a CPI force a Enel a aumentar seu quadro de funcionários. “Acredito que a CPI, além de investigar os números, precisa obrigar a empresa a contratar pessoas capacitadas para trabalhar. Esta é uma das maiores reclamações da população”, falou.

O vereador João Feitosa (PTB) lembrou João da Luz que a CPI da Enel foi criada para investigar as irregularidades de venda.

João da Luz declarou que a população está sofrendo com as irregularidades da empresa, e destacou que a empresa ocupa o último lugar no ranking da Agência Nacional de Energia Elétrica (Anael) pelo segundo ano consecutivo.

 

Foto: Ismael Vieira