Domingos Paula destaca medidas tomadas pela prefeitura com o fechamento da Santa Casa

por Marcos Vieira publicado 15/05/2019 11h47, última modificação 15/05/2019 11h47
Domingos Paula destaca medidas tomadas pela prefeitura com o fechamento da Santa Casa

Domingos Paula destaca medidas tomadas pela prefeitura com o fechamento da Santa Casa (Foto: Ismael Vieira)

O vereador Domingos Paula (PV) chamou a atenção na tribuna, nesta quarta-feira (15.mai), para as medidas emergenciais tomadas pela administração municipal diante da decisão da Santa Casa de Misericórdia de fechar o pronto-socorro.

Segundo o vereador, o prefeito Roberto Naves (PTB) teve que adiantar um convênio assinado com a Santa Casa para que a instituição possa reabrir ao menos o pronto-socorro infantil.

“A medida foi tomada até que seja inaugurada a UPA com Perfil Pediátrico”, explicou Domingos Paula, que reafirmou o descaso do governador Ronaldo Caiado (DEM) com a saúde anapolina.

O fechamento do pronto-socorro da Santa Casa ocorreu porque o governo estadual não renovou convênio com a instituição desde janeiro deste ano. Uma reunião em Goiânia, na manhã desta quart-feira, deve selar a retomada do repasse.

“Mas o governador tinha que ter feito isso há mais tempo. Deixou fechar para tentar resolver”, frisou Domingos. O vereador cobrou de Caiado que pague o serviço prestado nos últimos meses, que gerou o déficit que provocou o fechamento do pronto-socorro.

Para o vereador, o secretário estadual de Saúde, Ismael Alexandrino Júnior, é um “brincalhão” e não tem responsabilidade com Anápolis. “A culpa é de Caiado, que deveria ter dito ao secretário a importância da nossa cidade”.

Domingos informou ainda que entre as medidas emergenciais tomadas pelo prefeito, está a ampliação do horário de atendimento até as 22h das unidades de saúde do Bairro de Lourdes e do Recanto do Sol.

Moção
Domingos pediu ainda em seu discurso que o vereador Pastor Elias (PSDB) retirasse da pauta uma Moção de Apelo para a empresa que executa a obra do feirão da Alexandrina.

Segundo o vereador, a construtora desacelerou a obra durante alguns dias, devido à informação do governo estadual de que não pagaria o convênio firmado com os municípios, o Goiás na Frente.

“Mas o prefeito Roberto Naves, responsável que é, chamou as empreiteiras que estão fazendo os feirões e assumiu o repasse dos recursos. As obras estão retomaram ao seu ritmo normal”, destacou Domingos.