Audiência Pública debate sobre reforma da Previdência Social

por Geovana de Bortole publicado 02/04/2019 15h55, última modificação 02/04/2019 16h08
Audiência Pública debate sobre reforma da Previdência Social

Audiência Pública debate sobre reforma da Previdência Social

A Câmara Municipal de Anápolis promoveu um audiência pública realizada na noite de segunda-feira (01.abr) para debater sobre a reforma da Previdência Social.

O tema foi proposto pela vereadora Professora Geli (PT), em parceria com o Deputado Federal Rubens Otoni (PT) e o professor Juscelino Polonial.

 O debate contou com a presença de diversos representantes de classes trabalhistas. Todos os presentes tiveram oportunidade de expor opiniões e questionar sobre o assunto.

Professora Geli contou que decidiu discutir sobre o tema para esclarecer à população sobre os efeitos da reforma e conseqüências da suposta aprovação da proposta. “Estamos acompanhando a tramitação desta lei que irá modificar a vida de todos nós brasileiros. Precisamos saber suas propostas e como ela irá nos afetar. É importante ter conhecimento necessário para que nós não permitamos que retire qualquer direito dos trabalhadores”, disse.

A vereadora disse ainda que está participando de várias discussões acerca do tema e está muito triste. “Conhecendo melhor os dados do texto, fiquei muito preocupada com a situação do professor, da mulher, do trabalhador do campo, com as pessoas com deficiência, com os idosos e com aqueles que possuem benefício da situação continuada. Sou contra a maneira que a reforma está sendo colocada. Sabemos que é necessário fazer uma reforma, mas não assim, onde os únicos penalizados serão os trabalhadores”, pontuou.

Rubens Otoni acredita que é muito importante que a sociedade acompanhe de perto o que está sendo discutido em Brasília. “A proposta apresentada pelo Governo Federal não é viável. Essa proposta não tem nada para melhorar. Na prática, é um desmonte da previdência. Querem acabar com a aposentadoria pública para abrir caminho para a venda de planos de aposentadoria privada, que é um grande negócio para os bancos, e um desastre para os trabalhadores”, afirmou.

O deputado contou ainda que tem andado por todo o Estado para esclarecer e informar a população. “Espero que esta audiência sirva para incentivar o debate em outros setores da sociedade anapolina”,  falou.

Otoni explicou que o projeto da reforma da Previdência Social está sendo avaliado pelos membros da Comissão de Constituição e Justiça, e deve ser examinado ainda em abril. “Sendo aprovada a admissibilidade, será formada uma comissão especial com representantes de todos os partidos. Essa comissão deverá ter 40 sessões para formular um parecer final, com um tempo de aproximadamente 60 dias. Se for aprovado, então a reforma irá para o Plenário da Câmara para ser votado em definitivo”, detalhou o petista.

Para o professor Juscelino Polonial, este debate é necessário para esclarecer aos trabalhadores como serão afetados. “Entendemos que o debate deve ter âmbito nacional, e não pode ser discutido em apenas alguns meses, pois existe um lado da sociedade que diz que a reforma não é deficitária, e este é meu ponto de apoio. Temos que dizer qual reforma gostaríamos que fosse feita. Várias entidades já se manifestaram contrárias, e temos que discutir os patamares que beneficiam a maioria, e não a minoria como está sendo proposto hoje pelo Governo.

O vereador Lisieux José Borges (PT) disse que este é momento de debater sobre a proposta. “O Congresso Nacional diz que é imprescindível acontecer de uma forma ou de outra. Portanto precisamos discorrer sobre o tema e buscar informações. Nosso deputado Rubens Otoni irá contribuir para nosso entendimento. É importante debater e ver saber o que será melhor, para podermos cobrar de todos os deputados federais e senadores”, declarou.

O secretário de formação sindical do SINTECT (Sindicato dos Trabalhadores na Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e suas Concessionárias, Permissionárias, Franqueadas,  Coligadas  e  Subsidiárias  no Estado de Goiás), Tiago Henrique Rodrigues dos Santos, contou que todos do sindicato são contra a Reforma da Previdência. “Acredito que será impossível aposentadoria para os trabalhadores, principalmente para os carteiros. Hoje mesmo eu estava trabalhando com uma bolsa de 12 quilos, no sol quente, com a temperatura de 32 graus. Eu não vou conseguir fazer isso por 40 anos. Sou contra. Acredito que a reforma deveria começar pelos políticos e pelas grandes empresas, que estão devendo para a previdência. Esta proposta já deu errado no Chile. Nosso futuro está em jogo”, declarou.

Os vereadores Alfredo Landim (PT), Lélio Alvarenga (PSC) e Pastor Elias (PSDB) também marcaram presença na audiência pública.

No final dos debates, a vereadora Professora Geli entregou um certificado de honra ao mérito ao deputado Rubens Otoni e ao professor Juscelino Polonial pelos trabalhos realizados.

Foto: Ismael Vieira