Antônio Gomide critica fechamento da unidade do Cais Mulher no Bairro Maracanã

por Marcos Vieira publicado 07/11/2018 14h25, última modificação 07/11/2018 14h25
Antônio Gomide critica fechamento da unidade do Cais Mulher no Bairro Maracanã

Antônio Gomide também falou dos 30 anos do SUS (Foto: Ismael Vieira)

O vereador Antônio Gomide (PT) repercutiu na tribuna, nesta quarta-feira (7.nov), os 30 anos de criação do Sistema Único de Saúde (SUS), cobrando a manutenção no dia a dia dos princípios definidos desde 1988, do poder público garantir à população um atendimento gratuito, universal e com equidade.

Segundo Gomide, há rumores na cidade de um possível fechamento da Unidade Oncológica de Anápolis (UOA). “Estão falando em descredenciamento e se isso acontecer será um equívoco. Vamos acompanhar e estaremos aqui na tribuna, esclarecendo a população, lutando para que isso não ocorra”, discursou.

O vereador também demonstrou sua indignação em relação ao fechamento do Cais Mulher no Bairro Maracanã. “Hoje ele está fechado, está lacrado. Desde o dia 4 de julho de 2012 o local atendia os programas da saúde da mulher. Hoje essa unidade está fechada por um capricho da administração atual, de simplesmente dizer que ela podia ir para outro local, fazendo ali uma unidade pediátrica, aproveitando a estrutura”, explicou Gomide.

Para o vereador, as mulheres que eram atendidas na unidade do Maracanã não recebem o mesmo tratamento hoje, no Cais Abadia Lopes. Ele citou, por exemplo, os consultórios não adaptados para consultas ginecológicas no novo local, diferente do que já existia no antigo Cais Mulher.

Segundo Antônio Gomide, a proposta da administração atual é anexar os 1000 metros quadrados do prédio onde era o Cais Mulher a uma nova estrutura, que está sendo construída, de 300 metros quadrados, para montar um centro pediátrico. “Por que desativar aquilo que está dando certo, apenas para dizer que está inaugurando um centro pediátrico?”, questionou.

SUS
Sobre o SUS, Gomide lembrou que o sistema surgiu a partir da Constituição de 1988, garantindo o direito universal do brasileiro à saúde. “Quando aplicado corretamente, ele salva vidas”, comentou.

“Em 1988 tivemos a garantia de saúde como direito e temos que reforçar isso no Estado e no Município”, continuou Gomide. O vereador ressaltou a lei federal que criou controles sociais do SUS, através de conselhos com a participação da sociedade civil organizada.