Landim critica atendimento na saúde municipal e superlotação na UPA da Vila Esperança

por Marcos Vieira publicado 01/04/2019 14h05, última modificação 01/04/2019 14h06
Landim critica atendimento na saúde municipal e superlotação na UPA da Vila Esperança

Alfredo Landim faz críticas ao atendimento na saúde municipal e superlotação na UPA da Vila Esperança (Foto: Ismael Vieira)

O vereador Alfredo Landim (PT) disse na tribuna, nesta segunda-feira (1.abr), que a UPA da Vila Esperança está trabalhando no limite, com “funcionários dando tudo de si”, e que os motivos dessa superlotação são os fechamentos do Cais Jardim Progresso e Abadia Lopes.

Landim informou que esteve na UPA acompanhando o atendimento e viu pessoas de diversas regiões da cidade que antes eram contempladas pelos Cais. “Encontrei pessoas do Vivian Parque, Copacabana, Morumbi, Reny Curi. E elas foram para lá porque o atendimento está tendo falhas”, completou.

O vereador criticou a demora na definição da reforma do Cais Jardim Progresso, pois segundo ele a licitação ainda não foi aberta, mesmo sete meses após o fechamento da unidade. “E acham que está tudo bem”.

Alfredo Landim também falou da lavanderia da UPA. Segundo ele, trata-se de um maquinário de primeira classe, mas que foi preterido para contratação de uma empresa por um valor milionário. “Fiquei indignado com o sucateamento, mas não disseram o que pode ser feito com o equipamento”.

O vereador salientou que “é hora da gestão municipal colocar a mão na massa e fazer a rede de esgoto na UPA”.