Alfredo Landim diz que período de estiagem está no fim e obras de asfalto não foram iniciadas

por Marcos Vieira publicado 21/08/2019 15h25, última modificação 21/08/2019 15h40
Alfredo Landim diz que período de estiagem está no fim e obras de asfalto não foram iniciadas

Vereador Alfredo Landim (Foto: Ismael Vieira)

O vereador Alfredo Landim (PT) cobrou na tribuna, nesta quarta-feira (21.ago), obras de pavimentação asfáltica em diferentes regiões de Anápolis.

Ele frisou que o Poder Legislativo aprovou autorização para que a administração municipal contraia empréstimo de R$ 90 milhões para fazer obras de asfalto, mas os serviços não foram iniciados ainda.

“Desse recurso, uma parcela era para fazer calçamento, asfalto das pontas de rua que ficaram para trás, e dos bairros Promissão e Vale das Laranjeiras. Já está acabando o período de estiagem e até hoje não foi dado início à movimentação nesse sentido”, discursou Landim.

Ele comentou que tem cumprido sua missão enquanto vereador de cobrar e fiscalizar o Executivo, pois os moradores “estão aguardando as obras prometidas desde o primeiro dia da gestão atual e que não foram começadas até hoje”.

Segundo Alfredo Landim, em alguns pontos do Calixtópolis e do Vivian Parque estavam implantando a rede de esgoto e para isso foi retirado o asfalto das ruas, que até hoje não tiveram o recapeamento executado. Já no Laranjeiras, prosseguiu o vereador, a população aguarda a pavimentação para o bairro todo.

“Geralmente na segunda quinzena de setembro chove e aí fica para o próximo ano [a obra]. Eu venho aqui cobrar da administração para que eles [da gestão municipal] pelo menos falem com a comunidade que está sendo afetada”, prosseguiu Landim.

O vereador afirmou que “terminar obras iniciadas não é tão difícil”. “Já passou pela licitação, já escolheu empreiteira, fica apenas para terminar. Agora obras que precisam fazer desde o início. Se tem o dinheiro, qual o empecilho? Fica aí esse pedido, essa cobrança”.

Landim falou que o descumprimento das promessas gera transtornos para a população. “Haja vista que do jeito que está causa transtornos e doenças respiratórias para aqueles moradores”.