Landim alerta que reforma da Previdência prejudica mulheres e professores

por Orisvaldo Pires publicado 03/04/2019 11h25, última modificação 03/04/2019 11h27
Landim alerta que reforma da Previdência prejudica mulheres e professores

Landim alerta que reforma da Previdência prejudica mulheres e professores

Na sessão ordinária desta quarta-feira (3.abr), o vereador Alfredo Landium (PT), disse que a reforma da Previdência Social, como proposta atualmente, traz prejuízos consideráveis às mulheres e aos professores. Segundo ele, este assunto foi debatido na segunda-feira (1.abr), durante audiência pública idealizada pela vereadora Professora Geli (PT), com presença do deputado federal Rubens Otoni (PT) e o professor e cientista social, Juscelino Polonial.

Alredo Landim lembrou que no caso das mulheres, a idade mínima para se aposentar salta de 57 para 62 anos, e os professores só poderão se aposentar aos 60 anos. "Em geral o professora começa a dar aula com 22 anos, contribui por 25 anos e se aposenta com 47 anos. Agora terá que trabalhar mais 13 anos para chegar à idade mínima", disse o vereador.

A Desvinculação das Receitas da União (DRU), segundo Landim, revela que entre 2007 e 2016 foram desviados da Previdência Social R$ 925 bilhões. "O ministro Paulo Guedes elabora a reforma com intuito de arrecadar R$ 1 trilhão do cidadão, mas até agora não informou onde este dinheiro será aplicado", alertou.

Alfredo Landim citou ainda a manifestação oficial da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que posiciona-se de forma crítica a vários pontos do projeto de reforma da Previdência. "A CNBB fala de exclusão social, atingindo especialmente a classe média para baixo", revelou. O vereador disse ainda que vai submeter aos vereador Moção de Repúdio ao projeto de reforma da Previdência, a ser encaminhada ao Governo Federal e ao Congresso Nacional.