Gomide defende criação de programa municipal de combate à violência

por Marcos Vieira publicado 14/06/2017 14h56, última modificação 14/06/2017 14h56

O vereador Antônio Gomide (PT) disse que somente através de programas municipais de combate às drogas, a violência será reduzida em Anápolis. Ao usar a tribuna nesta quarta-feira (14.jun), Gomide defendeu a tese de que o uso e tráfico de entorpecentes é a raiz da insegurança atualmente na cidade, e que a prefeitura precisa tomar iniciativa para a mudança dessa realidade, pois os governos estadual e federal não tem interesse nisso.

Segundo Gomide, Anápolis chegou à 96ª morte violenta e entre 85% e 90% dos casos, esses homicídios são provocados pelas drogas. “Quem vai fazer um programa contra o tráfico? A responsabilidade é da Polícia Federal, mas o problema é social, é da nossa cidade. Precisamos do Caps para tratar a doença. Quem tem feito esse trabalho na cidade? Na maioria das vezes, as igrejas, que ajudam na recuperação de viciados”, discursou o petista.

Para Gomide, uma iniciativa da administração municipal nesse sentido será uma inovação. O vereador criticou o governo estadual, que prometeu um Credeq para Anápolis, mas a proposta nem saiu do papel, embora uma unidade foi inaugurada em Aparecida de Goiânia e obras serão iniciadas em Goianésia.

O vereador frisou que não adianta apenas lutar pelo aumento do efetivo da Polícia Militar e da Polícia Civil, que melhorariam sim a segurança, mas que precisam contar com um programa social que combata a causa. “As mortes precisam ser combatidas na causa, que é social, que é fome, miséria e pobreza. O desemprego causa violência. É um problema social”, explicou.

Antônio Gomide disse que o grande tema na cidade hoje é segurança e a prefeitura precisar criar alternativas para ajudar na recuperação das pessoas, citando, por exemplo, que dependentes químicos em surto só encontram um único local para tratamento na cidade, o Hospital Espírita de Psiquiatria (HEP).

registrado em: ,
Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis. Os comentários são moderados